The Floor is Jelly

The Floor is Jelly

 

Por incrível que pareça para nós, jogadores criados a base de Mario, Kirby e outros joguinhos do Nintendinho, Platformer é um dos gêneros menos populares nos dias de hoje.

Há quem diga que isso se dá pelo fato de existirem tantos gêneros de jogos hoje em dia e que eles continuam se reinventando e evoluindo, enquanto o platformer continua parado em pular e pegar moedinha. Para essas pessoas eu mostro The Floor is Jelly.

Poucas vezes eu vi um jogo hoje em dia e pensei “Caraca! Como ninguém pensou nisso antes?”, aliás, eu gostaria muito de ter imaginado esse conceito quando era criança e o melhor que eu tinha era O Chão É Lava. As propriedades dos sofás teriam sido melhor aproveitadas, acredito.

O conceito, na verdade, é bem simples. Você é um personagem indo do ponto A ao ponto B, como todo bom jogo de plataformas; só que não, afinal todas as plataformas são gelatinosas. Ou seja, elas escorregam, esticam, te fazem voar pra longe, etc.

Vale a pena passar um pouco de raiva tentando dominar a progressão desse jogo, que também é super bonitinho. E , acredite, você vai errar o pulo mais básico um milhão de vezes.

 

Disponível para: PC, Mac
Desenvolvedora: Ian Snyder
Tempo de Jogo: 2 horas
Pago

Patrícia Sato

About Patrícia Sato

Game Designer por formação, Artista por vocação, Cozinheira por diversão e Cat Lady por definição.

Leave a Reply