BIG Festival 2015: Categoria “Inovação”

Thumbnail

 

Vinicius Aleixo faz parte da equipe de organização do BIG Festival. Suas opiniões expressas no Quick Saving e em textos relacionados, entretanto, não representam de forma alguma as opiniões do BIG Festival ou Abragames.

 

Eu particularmente não considero um jogo inovador por ele simplesmente mostrar uma ideia que ninguém nunca tenha pensado antes. Para mim, inovador é o jogo que busca explorar uma nova ideia e consegue fazer isso com sucesso. Os 5 jogos abaixo fazem exatamente isso.

 

Tribalban

Você é um robô enviado ao passado, mais precisamente a época dos homens das cavernas. Com um gravador embutido em si mesmo, você deve compreender a a linguagem primitiva deles ao mesmo tempo que resolve os problemas do bando.

Como fazer isso? Se um homem da caverna faz um grunhido específico quando ele está com frio, aprender aquele grunhido e reproduzir para outras pessoas vai fazê-los entender o que está sendo dito e dar uma resposta com outro grunhido, e por aí vai. A ideia aqui é trocar informações entre eles para que eles possam resolver os próprios problemas e se desenvolverem.

Como se isso já não fosse uma ótima ideia, vale frisar também que, já que o permite você nomear os grunhidos e barulhos da forma que quiser, ele é facilmente acessível a qualquer idioma. Ficou curioso? Você pode assistir o trailer aqui, ou baixar a demo do jogo aqui.

 

Plug

Não só apresentar jogos curtinhos para pessoas sem tempo, o Quick Saving também serve para mostrar conceitos novos e diferentes para pessoas que estão presas no marasmo de um jogo longo. Não importa o que você esteja jogando: se você jogar Plug & Play, a sensação vai ser de estar jogando algo diferente.

Ele é menos jogo do que qualquer jogo dessa lista, entrando tranquilamente na categoria de filme interativo. Ele é uma sequencia cenas que requerem algum tipo diferente de input por parte do jogador para que a cena se desenrole. Mas, no fim das contas, o jogo é menos sobre roteiro e muito mais sobre narrativa. Durante a curtíssima estadia nesse estranho mundinho de pessoas, “esperar o inesperado” não chega nem perto de atenuar as surpresas que você vai encontrar aqui.

 

event

Se você julgar Event[0] pelo gênero ou objetivo, não é nada que já não tenhamos visto antes. Em sua espinha dorsal, ele é um adventure, ou um jogo de exploração no máximo. Entretanto, ainda que você se mova por um ambiente tridimensional, o seu único modo de interagir com esse mundo é através dos computadores espalhados pela instalação espacial. Só que você não está usando os menus que ele oferece, você está usando esses terminais para conversar com uma inteligência artifical muito bem elaborada.

Ter de pedir para que alguém abra uma porta para você traz um ar único. Ter de elaborar uma frase para que isso aconteça é algo mais inusitado ainda. E lidar com uma IA que consegue se lembrar dos possíveis insultos que você escreve e pode mudar o rumo da história só por causa disso é simplesmente único. Para ver tudo isso funcionando, confira um vídeo de gameplay oficial aqui.

 

Find The Line (BIG)

Em meio à um mar de jogos que envolvem juntar pedras específicas próximas às outras, Find The Line trás uma proposta de puzzle extremamente refrescante e elegante. Em cada uma das pequenas fases, você tem acesso ao controle de duas linhas ou mais linhas. Você não tem como traçá-las ao seu bel prazer, a única coisa que você pode fazer aqui é mandar elas seguirem por caminhos pré-determinados. Quando a linha passa por esses caminhos, ela revela inúmeros objetos e desenhos.

Até aí já seria uma distrativa, ainda que elegante, animação. Mas eis que surge o puzzle: com todas as linhas  que o jogo disponibiliza por fase, você precisa mandá-las ir e voltar de modo que elas formem, todas juntas, um único desenho. E não para por aí: algumas fases também escondem segredos. As vezes será necessário usar algumas das linhas para que elas formem uma chave ou uma estrela, bem discretas, em algum lugar do canvas.

É um jogo extremamente relaxante. As coisas ficam mais claras se você assistir esse trailer oficial. O jogo provavelmente vai parecer bem fácil apenas vendo um vídeo, por isso eu recomendo, em vez disso, ir direto atrás do jogo, que é gratuito para baixar.

 

Nova-111 (BIG)

Uma das leis que regem o universo de Nova-111 é o fato de que a movimentação da sua nave é em turnos,  e apenas quando você se move, os inimigos também se movem. A partir daí você precisa usar timing e estratégia para derrotar criaturas e progredir pelas fases. O grande twist dessa mecânica é que nem tudo segue a lei da movimentação em turnos. Enquanto você está parado pensando na melhor forma de desviar de letais, a estalactite logo acima vai cair independente do que você estiver fazendo.

O truque, no fim das contas, é se aproveitar de ambos os tipos de movimentos para desviar, fugir ou causar dano. Um híbrido de ação e estratégia com muito potencial, com lançamento previsto para todas as plataformas modernas ainda em 2015. Para ver tudo isso funcionando, ou para entender caso tenha ficado confuso com a explicação, assista o trailer oficial aqui.

Vini Aleixo

About Vini Aleixo

Game Designer que crítica jogos como hobby e Relações Públicas Não Oficial, Não Autorizado e Não Remunerado da Nintendo.

Leave a Reply